Jornal da 2CNews

Segunda, 28 de novembro de 2022
MENU

Corporativo

Trabalho temporário demanda gerenciamento de mão de obra qualificada

COO da SISQUAL®WFM traça panorama do trabalho temporário, seus desafios e implicações para empresas de diversos setores do mercado brasileiro, como o de hotelaria

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Modalidade de contratação que, no país, cresceu às sombras da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), o trabalho temporário tem ganhado espaço em todo o mundo com a revolução digital, que possibilita novos tipos de empregos. Com isso, mais de 23 países já oferecem vistos específicos para os nômades digitais - profissionais que atuam no ambiente virtual, sem limitação geográfica.

No Brasil, o Conselho Nacional de Imigração, administrado pelo MJSP (Ministério da Justiça e Segurança Pública), ordenou a concessão de visto temporário e autorização de residência aos imigrantes que atuam com a modalidade, como mostra uma publicação da CNN Brasil.

Para Pedro Cabral, COO (Chief Operating Officer) da SISQUAL®WFM, empresa detentora de um software de gerenciamento da força de trabalho, assim como a utilização de profissionais em condição de trabalho temporário tem se tornado massiva, as dúvidas com relação às especificidades que devem ser levadas em consideração, que diferem do trabalho fixo, também têm impactado diversos setores do mercado, como o de hotelaria. 

Segundo uma estimativa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), o turismo brasileiro deve retomar o nível de ocupação do período pré-pandemia e encerrar 2022 com 314,6 mil postos de trabalho criados. “As principais preocupações das empresas - tanto do mercado de hotelaria, como dos demais - com relação ao trabalho temporário residem na necessidade de obtenção de maiores índices de produtividade e competitividade”, afirma Pedro Cabral.

Para solucionar este entrave, avança, ganham destaque alternativas como a aquisição de tecnologias avançadas, que permitem atualizar os meios de produção, como também o ajustamento dos recursos humanos às novas necessidades, provocadas pelas constantes mudanças no mundo moderno.

Além disso, prossegue Cabral, com o aumento do trabalho remoto, a maneira como se trabalha mudou de forma significativa, tornando mais difícil a adaptação dos empregadores às novas tendências de trabalho.

Com efeito, dados do relatório "People at Work 2022: A Global Workforce View" revelam que 70% dos jovens com idades entre 18 e 24 anos preferem deixar o emprego do que o teletrabalho para voltar a atuar de forma presencial. A pesquisa entrevistou 32 mil pessoas de 17 países, entre eles o Brasil, em novembro de 2021.

“Todos estes fatores têm contribuído para o aumento do mercado de trabalho temporário, não só pela necessidade do empregador, mas, principalmente, pela vontade das pessoas que vivem procurando novas experiências”, expõe.

A análise do COO é corroborada por números: segundo o Relatório Global de Tendências Migratórias 2022 da Fragomen, empresa especializada em serviços de imigração mundial, 35 milhões de profissionais já atuam como nômades digitais em todo o mundo. O estudo também mostra que o número desses profissionais pode chegar a um bilhão em 2035.

Dessa forma, articula Cabral, “as vantagens e desvantagens do trabalho temporário deixaram de fazer parte da equação de avaliação do processo de contratação, já que as novas gerações equacionam de forma menos positiva o trabalho fixo e o compromisso de longa duração”.

Tecnologia facilita gerenciamento de mão de obra

Na perspectiva do COO da SISQUAL®WFM, com a ampla adesão ao trabalho temporário, ganha destaque a necessidade de um gerenciamento eficiente da mão de obra qualificada.  “A via tecnológica é uma forma eficiente para fazer, manter e melhorar o gerenciamento, que é simplificado com o suporte de empresas especializadas”.

A título de exemplo, ele cita que plataformas do gênero já permitem que os empregadores divulguem as suas necessidades temporárias de trabalho e respetivas competências necessárias. Neste caso, os profissionais podem aceitar uma solicitação de trabalho e reservar o tempo que estão disponíveis para esse empregador.

“As inovações tecnológicas facilitam a interação entre empregador e empregado de forma automática. Em alguns casos, o empregador pode, até mesmo, fazer o planejamento das escalas de trabalho com pré-reserva de recursos humanos temporários, antes do início da escala e de forma automática”, afirma.

Para mais informações, basta acessar: https://www.sisqualwfm.com/



Website: https://www.sisqualwfm.com/

Fonte/Créditos: DINO

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!