Jornal da 2CNews

Sexta, 30 de setembro de 2022
MENU

Saúde

Seis hospitais são equipados para cirurgias ortopédicas mais rápidas e seguras

Unidades ganharam arcos cirúrgicos que permitem procedimentos menos invasivos e mais precisos

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Esta semana, mais três hospitais do Distrito Federal receberam novas escopias – popularmente conhecido por arco cirúrgico - equipamentos que possibilitam aos médicos realizarem cirurgias mais precisas, com mais segurança e agilidade. Os hospitais do Gama, da Região Leste (HRLE) e da Asa Norte (HRAN) receberam um equipamento cada. 

Em junho, outros três arcos cirúrgicos foram entregues aos hospitais de Taguatinga (HRT), Ceilândia (HRC) e Planaltina (HRPL). Segundo a Secretaria de Saúde, ainda há em andamento um processo de aquisição de mais 15 unidades.
As máquinas permitem maior precisão nas cirurgias ao produzirem imagens em tempo real no momento da operação, como um aparelho de raio-X. Com o equipamento é possível executar cirurgias em diversas áreas, como em procedimentos cardiológico, ortopédico e vascular.
“No Hran, o equipamento vai auxiliar nas cirurgias urológicas. No início da próxima semana concluiremos o treinamento junto aos técnicos da empresa e faremos os testes para darmos início a utilização em nossos procedimentos”, garante o diretor administrativo do Hospital da Asa Norte, Murilo Nunes.
Já nos hospitais da Região Leste e do Gama, o equipamento vai auxiliar as cirurgias de coluna e ortopédicas. “O equipamento é de referência, mais tecnológico, e vai gerar uma incidência de radiação muito menor para a equipe e paciente durante o procedimento”, explica o superintendente do Hospital da Região Leste, Sidney Sotero.
“O arco cirúrgico é um grande avanço, pois evitamos fazer raio-x durante a cirurgia. Ganhamos tempo e maior precisão”, completa o gerente da assistência cirúrgica do HRG, Moacir da Conceição.
As máquinas foram locadas por meio do método de contrapartida, que é feito a partir do convênio de instituições de ensino superior com a Secretaria de Saúde. Essas instituições utilizam as unidades de saúde de estágio e cada aluno gera um valor hora-aula, revertido para a pasta em forma de doação, serviços e materiais.

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!