Jornal da 2CNews

Sexta, 30 de setembro de 2022
MENU

Corporativo

Farmácias brasileiras registram aumento na venda de autotestes para Covid-19

O aumento foi percebido por farmácias e drogarias; especialista em marketing estratégico na área da saúde analisa o movimento e destaca principais cuidados para fazer o teste

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A procura por autotestes de Covid-19 disparou em farmácias de diversos estados do Brasil nos últimos três meses. Exemplo disso, a Drogaria São Paulo, segunda maior rede varejista de farmácias do país, relatou o aumento de 3.000% nas vendas dos autotestes em maio, em relação ao mês anterior.

As vendas dos itens também aumentaram nas unidades da rede Pague Menos, no Ceará, onde foi identificado o aumento de 1278% em junho, em comparação a maio. No Acre, a rede Pague Menos vendeu 1.203 autotestes em junho, contra 138 autotestes que foram adquiridos em maio - uma alta de mais de 700%. Já nas unidades da rede RaiaDrogasil, o número de autotestes comercializados cresceu 250% também em junho.

Acompanhando o movimento de ampla digitalização, a busca pelos autotestes também chegou ao ambiente virtual: segundo o Consulta Remédios, comércio eletrônico que faz a ponte entre consumidores e centenas de drogarias e farmácias do país, foi identificada uma alta de 1.528% no número de vendas dos produtos durante o mesmo período.

Para Juliana Doirado Aggio Rocha, especialista em marketing estratégico e operações comerciais no setor farmacêutico, um dos motivos por trás da ampla adesão dos brasileiros ao autoteste é o preço, bem abaixo do cobrado por testes realizados em laboratórios.

“Alguns testes, dentre os disponíveis em farmácias, podem custar mais de R$ 100, ao passo em que é possível encontrar um autoteste entre R$ 40,00 a R$ 70,00”, afirma. “Outro fator que conta muito é o fato de que o resultado de um autoteste pode sair em apenas quinze minutos. Assim, não é preciso esperar horas - ou, até mesmo, dias -, ao contrário do tempo necessário para procedimentos realizados em laboratórios e hospitais públicos”.

Autoteste exige atenção

Rocha destaca que, via de regra, qualquer pessoa sem instrução profissional é capaz de fazer o autoteste para Covid-19, desde que seguindo as orientações que acompanham o kit. “Ele [autoteste] é feito por coleta de amostra nasal (swab) não profunda, o que causa menos incômodo e muito mais facilidade”.

Apesar disso, ela ressalta que é necessário tomar alguns cuidados no momento de escolher qual teste comprar. “Hoje, existem somente dois testes aprovados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que estão registrados: o ‘Novel Coronavírus (Covid-19) Autoteste Antígeno’, da empresa CPMH Comércio e Indústria de Produtos Médico-Hospitalares e Odontológicos Ltda., e o ‘Autoteste COVID Ag Detect’, fabricado pela empresa Eco Diagnóstica Ltda.”, reporta.

Para concluir, a especialista em marketing estratégico e operações comerciais no setor farmacêutico reafirma que é importante seguir, sempre, as orientações e o passo a passo que vêm junto com cada teste.

“Não se deve pular etapas, ou fazer de um jeito que você acha que é aceitável. Faça exatamente o que as instruções do autoteste pedirem, como lavar as mãos e secar bem. Siga as recomendações e não use álcool em gel, já que água e sabão é o correto. Seguir as instruções corretamente irá garantir um resultado mais preciso”, recomenda Rocha.

Para mais informações, basta acessar: https://www.linkedin.com/in/juliana-doirado-aggio-rocha-1209be0406/



Website: https://www.linkedin.com/in/juliana-doirado-aggio-rocha-1209be0406/

Fonte/Créditos: DINO

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!